05 julho 2006

actualização

queria pôr aqui uma actualização toda fixe, a contar o que andei a fazer nestas duas semanas e cheia de fotos espantosas e frases inspiradas (e inspiradoras), mas a verdade é que nem o computador nem os dedos se sentem com vontade de me ajudar nessa tarefa.

o computador porque, 'tadinho, está velho e cansado - só com vontade de se sentar junto a outros computadores velhos e cansados a discutir vírus e antivírus e panaceias várias. colocar fotos pesadonas na internet não é coisa para ele e nem com falinhas mansas lá vou.

os dedos porque pertencem a gente preguiçosa (é sempre bom generalizar quando se parte para insultos - dá um ar de distanciamento que por momentos consegue suavizar o ataque) e se recusam a teclar como deve ser as palavras que querem sair para contar tudo a toda a gente.

resumo:
durante uma semana fingi estar de férias na suécia com 3 meninas que resolveram ir gozar o sol sueco comigo. a chuva decidiu aparecer também e dar cabo das 22 horas de luz por dia da altura. mas foi giro.

agora voltei. até setembro. terei tempo de me fartar?

terras portuguesas infestadas de futebol - sou só eu ou há mais alguém enjoado com isto? hoje estive 40 min a ver o telejornal e não falaram de mais nada a não ser da selecção, das mulheres dos jogadores da selecção, do seleccionador, do que os franceses acham dos jogadores da selecção, do que o zé da esquina acha acerca da selecção, do que o vizinho do zé da esquina acha do que o zé da esquina acha acerca da selecção. fartei-me e desliguei a televisão. não me pareceu que o tom fosse mudar - ainda haverá maneira de se saber o que acontece pelo mundo fora? e pelo país? passa uma pessoa 3 meses a tentar decifrar as notícias em sueco (inventam-se umas histórias engraçadas só à conta das imagens) e quando se chega é esta tristeza. não há pachorra. o meu desejo secreto era que a selecção tivesse perdido logo ao princípio, mas se digo isto em voz alta parece sacrilégio e ainda me batem. MAIS VALIA QUE TIVESSEM PERDIDO LOGO NO INÍCIO DO MUNDIAL. bah.

mas também já respirei fundo. vagueei por lisboa. e comi gelados no santini. e travesseiros de sintra (ainda me faltam os pastéis de belém, mas lá chegarei). e já disse mal do trânsito. e dos autocarros não chegarem a horas. e das bandeiras espalhadas por aí (isto não me larga...). e disse bem das pessoas serem simpáticas ou antipáticas nas lojas, consoante são pessoas simpáticas ou antipáticas. e já fui comprar fruta ao mercado. e já comi peixe fresco de jeito. e é tudo muito fixe. estava cheia de saudades e descobri que posso estar descansada porque não andei a mentir pela escandinávia: portugal é muito melhor.

acho que não tenho tempo de me fartar, não. nem mesmo com a ajuda do futebol.

descrição mais cuidada numa próxima oportunidade. e fotos. e mais coisas. e ainda me falta ir à praia - a dois passos de casa e sempre que lá passo sinto ganas de me atirar do pontão direitinha à água.

amanhã :o)

5 comentários:

DRei disse...

Bem, grandes desforras de estar longe!! Uns pastelinhos também já iam. E praia... também não era mal pensado!! ; )
Aproveita bem a estadia, o descanso e "imbui-te" (n sei se a palavra existe, mas percebe-se...acho) dessas pequenas coisas que fazem Portugal especial. Assim, o regresso vai ser bom e o Inverno por aqui passa num instante. Bjinhos.

Former Canadian disse...

Não posso esconder a minha tristeza perante a incapacidade de aturar 40 minutos de um telejornal a falar sobre futebol. O futebol é o melhor meio para evitar que no verão se falem dos incêndios. Isto tudo porque há um denominador comum: gasta-se esse tempo todo porque não há mais nada para dizer! Não há notícias porque ninguém faz nada e estamos a pagar para que o sr. Cavaco e o sr. Socas viagem para a Alemanha assistir a um jogo de futebol que eles não percebem! Acredito que não conseguem saber quem joga na França sem ser o Henry ou o Zidane. O conhecimento deles de futebol deve ser semelhante ao do estrangeiro que diz que o jogador preferido da selecção portuguesa é o Figo (eu também digo que a minha mãe preferida é a minha! - só conheço uma!).
E assim gasto as minhas primeiras linhas com este tema só para dizer que o Estado devia ter-me pago o bilhete para a Alemanha porque a história seria outra comigo lá.
Escrevo também para discordar de que Portugal é melhor que os outros países. Acho que essa sensação se vai diluindo à medida que passas mais tempo nos outros lados. 1 ou 2 anos são períodos de tempo em que de facto as saudades são muitas e que ficamos fartos dos estrangeiros desenvolvidos e dos hábitos parvos deles: "porque raio é que não discutem no trânsito? Porque é que não são mal-educados na rua? Não cospem, não arrotam? Estúpidos! Irritam-me de serem tão certinhos! Quero confusão!" Passado este tempo acho que começamos a perceber o que nós poderíamos ser e o quão melhor nós seríamos. A partir deste momento Portugal deixa de ser o melhor país do mundo...
Nem sei mais o que escrever...Acho que a Suécia deve ser muito gira...e um gajo que não seja louro e tenha mais de 1,80m faz um grande sucesso (não vou para a Suécia porque tenho uma sueca em Portugal e faltam-me 1,5 cm para as medidas que me fariam partir daqui). Claro que é só a altura que me impede de partir :)
Até há pouco tempo era virgem nestas coisas mas isto de escrever nos blogues (ainda se tem que inventar a palavra em português para isto porque não há paciência para os inglesismos - lembra-me sempre o grande Gabriel Alves que diz que o Eusébio é uma grande legenda do Futebol Português!) tem a sua piada. Será que isto foi inventado para vomitar as opiniões que ninguém está interessado em ouvir? Bem, vomitar é um pouco forte mas acho que sim...Eu gosto de dar opiniões, por isso viva os belogues!
Beijinhos

purpurina disse...

menina drei

quer um pastelinho de belém pelo correio? duvido que chegue em condições, mas pode ser uma experiência nova ver um pastel de belém com bolor. quiça entrará no guiness - alguém acha que alguma vez uma dessas coisitas pequenitas e deliciosas foi esquecida no armário tempo suficiente para se estragar?

chuac

purpurina disse...

meu querido former canadian

não vou comentar futebol, nem incêndios, nem medidas obscuras governamentais (alguém me falou ontem duma teoria da conspiração que faz ligação directa entre grandes jogos de futebol e a aprovação de pastas controversas no governo - é capaz de ser mais chato do que um salto à alemanha para ver uma tristeza de jogo, mas quem se importa mesmo? portugal não chegou à final e agora é tempo de acarinhar mágoas e encher o peito de pena pelo portugal dos pequenitos, né?).

quanto ao facto dos estrangeiros serem mais bem-educados, mais limpinhos, não discutirem no trânsito e 30 000 outras virtudes, tenho a declarar bem alto que É TUDO UM MITO.

são mais bem-educados, mas parece tudo hipocrisia. prefiro uma carantonha feia na loja, a sair de lá sem saber se estavam a gozar com a minha cara e se aquele sorriso de plástico é de rosca ou não.

não são mais limpinhos (e tenho fotos a provar!), têm é um sistema de limpeza de ruas muito bem montado.

não discutem no trânsito apenas quando não têm trânsito, um bocado como por cá. o bom da coisa é que não têm trânsito muitas vezes...

quanto a cuspir para a rua, desengana-te, moço! espreita aqui: http://eteceterasentretempos.blogspot.com
/2006/04/rrrrrrrrrrrrrrrrateput.html

é claro que isto é apenas experiência sueca numa terra pequena. uma terra sueca que também tem coisas muito boas - mas continuo a achar que portugal é muito melhor (soa um bocado a amor cego, mas um acérrimo sportinguista não me pode criticar por isto ;o) )

pelo que percebi do blogue da minha amiga aí do primeiro comentário, na finlândia é tudo muito parecido. e por todo o lado por onde já passei - não foram muitos sítios, admito, tenho de tratar disso - a minha primeira reacção tem sido de perplexidade: onde é que isto é melhor?!

este comentário já parece quase mini-spam. desculpa a verborreia, mas tocaste num ponto sensível.

beijinhos

Former Canadian disse...

Eh pa isto é muito engraçado!
Claro que eu também concordo contigo e com o facto das pessoas andarem de máscaras postas o dia todo. Também passsei por isso e sei o que se sente quando te apercebes da falsidade e da artificialidade da postura.
Mesmo assim o que posso continuar a defender é que devido a uma maior organização (se bem que em termos burocráticos seja tudo a mesma complicação) e uma maior competência por parte das pessoas (este facto eu penso que é o que faz a diferença porque senão os índices de produtividade eram diferentes) esses países acabam por ser melhores em termos de qualidade de vida que te oferecem. Portugal, para mim, é a melhor casa do mundo. A situação ideal era acordar e ir de avião até ao estrangeiro trabalhar. Não aturava conversa da treta no trabalho e não tinha que ver 5 pausas diárias para café, nem estar dependente de 50 pessoas que não sabem ao certo o que estão a fazer. Saía cedo do trabalho porque podia cumprir as minhas tarefas sem estar dependente da pessoa que tem a tarefa de ligar e desligar um interruptor (no IST deve haver pessoas com esse emprego) e voltava para casa. Podia disfrutar de tudo o resto em Portugal porque sem dúvida que temos a melhor casa do mundo.
Não sou defensor de que o que é estrangeiro é que é bom, mas porque é que quase todos nós escolhemos o estrangeiro para alargar os nossos conhecimentos? Acho que a Suécia podia ficar ao pé de Espanha mas se calhar os Suecos eram portugueses e se nós estivessemos no norte da europa também não tinhamos gelados santini...humm...bem se calhar bom mesmo é isto continuar como está e depois nós decidirmos o que queremos fazer...Felizmente há liberdade para isso.
Já nem sei bem o que estou a defender mas isto dos blogs tem piada porque dou por mim a escrever só pelo simples facto de estar aqui uma coisa a dizer "leave your comment"...
Pronto já deves estar arrependida de me ter dado o endereço disto mas olha...eu devia ter percebido a indirecta "deixa lá, aquilo tens que te registar lá e dá muito trabalho" mas não liguei nenhuma e estou aqui a escrever...PÁRA! Mais NÃO!!! Ok. Os dedos estão revoltados...vou parar...Beijinhos
Quando for a praia digo. Deve ser Sábado à tarde.