14 dezembro 2009

projecto com prazo de validade

não me lembro se já falei disto aqui. o moço dos berros é o dos zen (que saudades da juventude...). e eu ando com este novo projecto agarrado aos ouvidos há uns tempos. os desgraçados é que não me responderam quando eu escrevi a queixar-me que nunca dão concertos quando eu aí vou (o que até é mentira; o próximo vai ser na noite de natal*, no porto) e a dizer que queria comprar-lhes as canções. parvos.

vá, oiçam lá os moços:




* ou é na noite anterior? estou toda confundidinha...

13 dezembro 2009

estive uma semana a brincar aos cientistas malucos no irmão pequeno do cern, em lund. enquanto lá estava estatelei-me no meio da estrada, acrescente-se que com graciosidade e encanto. depois do tornozelo recuperado, ando a redescobrir os encantos de arrancar crostas de feridas. quase vale o não ter conseguido dobrar o joelho sem esguichar sangue durante 9 dias.

25 novembro 2009

24 novembro 2009

(a caixa mágica também me traz a daniela ruah. nos primeiros minutos do primeiro episódio a moça ameaça "partir o carro todo" a alguém pelo telefone, em português. passei a ver aquela treta* toda na esperança que eles repitam a gracinha de a pôr a falar na língua mais bonita, mas até agora nada.)

* eu vejo muitas tretas, o sacrifício não é assim tão grande...

para matar saudades



a indústria automóvel anda a tentar seduzir-me - traz-me pedacinhos de lisboa aos bochechos pela caixa mágica.

(ai, as castanhas!)

faltas

alguém a quem perguntar se tenho o nariz limpo.

(mas tenho quem me ature às tantas da manhã quando estou completamente adrenalinada por ter andado a almofadar o candeeiro da mesa de cabeceira pensando que era um ladrão. abraços de longe também se sentem.)

06 novembro 2009

vou a caminho do sol.

05 novembro 2009

(confissões de emigrante)

vejam lá como isto anda que até achei o baixista da ágata muito bem-apessoado...

impressões

após 3 semanas com acesso à rtp internacional, eis o que aprendi:

. o malato é realmente irritante. nunca tinha passado tempo suficiente com a pessoa para me aperceber disso;

. a sílvia alberto já sabe dizer os éles. acho incrível, não percebo como é que se aprendem estas coisas;

. o joão baião devia usar calças do tamanho dele, parece-me que as que tem eram do irmão mais novo. mas gostei das cãs - subiu uns pontos por não as ter pintado;

. a judite de sousa está na crise de meia-idade. deve ser normal, mas é chato a dela ter de passar na televisão;

. a moça que fala com o marcelo rebelo de sousa todos os domingos (tento fixar o nome dela, mas escapa sempre), tem aquele ar de menina aplicada que quer mostrar que sabe antecipando o que o sôpessor vai dizer. dá-me cabo dos nervos aquele bbbbzzzzzzzzz, especialmente porque por vezes acerta e o marcelinho salta aquela parte - como o microfone dela não se ouve nessas alturas, fica uma pessoa a adivinhar, feita parva;

. a judite de sousa, mesmo em plena crise, com unhas douradas e sapatos à travesti (desculpem. é horrível dizer, mas não resisto), tem muito mais jeito para a coisa com o antónio vitorino. não teve foi jeitinho nenhum na entrevista com o antónio lobo antunes, mas isso é outra conversa*;

. o antónio lobo antunes fala da mesma maneira que aquelas pessoas muito fixes, muito fashion, muito acima de toda a gente falam - num tom condescendente, com uma paciência salpicada de exasperação pelo cansaço que é ter de explicar tudo, ao mesmo tempo que tenta a todo o custo passar uma imagem de calma e simplicidade. uma espécie de afectação zen, se me entendem;

. estou verdadeiramente emigrante. no outro dia deu um filme português que se passava ali para os meus lados - veio logo a lagriminha ao olho: ai, a praia de carcavelos, e paço de arcos, e aquilo é a cave do centro comercial de carcavelos (ah, mas foi gravado quando eu lá andava, como é que eu não dei por nada?), ai e os copos que eles estão a usar são iguais aos da minha mãe, e as matrículas dos carros, e as sombras das casas, e o raicoparta. estou perdida;

. alguém devia dar um dicionário de português e uma gramática (até pode ser como o acordo ortográfico manda, qualquer coisinha para começar) aos responsáveis pelo canal. tanto erro ortográfico nos anúncios de programas e agendas culturais e legendas. como é que têm a lata de passar aquilo do bom português se nem arrumam a própria casa?

. a acreditar nas comemorações dos 50 anos do telejornal, temos o melhor programa de informação do mundo. é mentira. (bate aos pontos o sueco, mas continua a ser miserável);

. estou a voltar a gostar de futebol à conta d'a liga dos últimos. e só vi um programa inteiro. claro que gosto é das pessoas, mas acho que continua a contar. não gosto dos comentadores. são paternalistas e irritam-me;

. a imagem que os emigrantes têm de portugal é datada e isso vê-se nos programas que passam. gostaria que os programas lhes levassem uma imagem mais verdadeira do país. mas isto é um querer igual ao outro querer que os programas que passam na televisão em geral nos tornem (espectadores) melhores e não que nós tornemos a tv pior;

. no domingo emparelharam o júlio isidro (é tão fixe, não é?) com uma menina que não conheço. na apresentação d'o programa das festas (sim, vi todinho. e ia morrendo porque aquilo passou-se na feira gastronómica de santarém e eu já não como nada que preste desde agosto). a moça até é engraçada e não fala mal e tudo, mas os dois juntos só se enterram. não combinam nadanadanadanada, aquilo foi atropelo atrás de atropelo. meteu dó;

. a outra moça do programa aqui de cima (outra que tento lembrar o nome e esqueço sempre - cristina qualquer coisa) fala como se estivesse a falar com meninos do infantário, mas curiosamente nem irrita muito. só me faz lembrar a serenela andrade. como me esqueço sempre do nome nunca consegui confirmar a suspeita. alguém ajuda?

. podia continuar, mas já estou a dizer muito mal duma só vez.

ao fim e ao cabo, gostei muito de ouvir a minha língua outra vez. e em muitas pronúncias e cores.


* aí fez papel de menina babada, mas não se concentrou o suficiente para realmente ouvir o que o homem dizia. parecia parvinha, embasbacada a olhar e aos risinhos (ela agora tem um bocado a mania do riso nervoso. devem-lhe ter dito que isso a tornava mais humana, menos jornalista dura. estão errados, não lhe deviam ter dito nada). a certa altura ele descreve uma das pessoas com quem uma vez esperava pela sessão de quimioterapia e diz que a tal pessoa trazia a gravata mais bonita do mundo, mesmo sem ter nenhuma gravata (era uma gravata de dignidade ou coisa que o valha) e a mulher pergunta-lhe se ainda se lembra da cor da gravata... que murro.

02 novembro 2009

antónio sérgio em repeat na radar é muito bom. e é muito triste.

31 outubro 2009

coisa sem interesse (ii)

eu ia colocar aqui umas fotos e um textozinho, à laia de diário; explicar que estou na alemanha até ao fim da semana (a trabalhar que nem um cão); que por cá há cerveja e pão (não se morre de fome, pode é morrer-se de enfartamento); e a paisagem é bonita; e as pessoas são simpáticas; e o café que bebi na república checa (num pardieiro a tresandar a tabaco) era excelente, mesmo sendo um balde dele; e e e e.

desisti. fartei-me de olhar para as minhas fotos e achar tudo desfocado e feio e que raio é que eu faço à máquina para sair tudo mal assim. não me apetece escrever mais.

e não é que alguém se importe...

hehehehe...

ateus de todo o mundo, uni-vos!

«As you may already be aware, recently the Atheist Founation [sic] of Australia and the Global Atheist Convention websites were the target of a significant DDoS (Distributed Denial of Service) attack, which began on Monday 19 October.

This is a call to all non-believers and advocates for freedom of speech to join us in a global co-ordinated minute of prayer with the aim of inundating God (in this context, the Christian god, God, as distinct from the Greek god, Zeus, the Egyptian god, Ra etc etc) with so many useless prayers that it causes his divineness to go offline as as result of our own DDOS ('Divine' Denial of Service).

The prayer minute will be at exactly 8pm (Eastern Standard Time) and 9am (Greenwich Mean Time) on Sunday 8 November 2009.»

ahaha!
muito agradecida ao sô m. pela gargalhada

coisa sem interesse

o meu maior incentivo para usar creme hidratante a seguir ao banho é saber que assim a minha bagagem pesará menos um bocadinho no sábado que vem.

calculo que, por cada aplicação de creme, posso acrescentar 5 a 10 folhas de papel à mala.

29 outubro 2009

26 outubro 2009

seguindo a corrente

eu não ia dizer nada acerca disto, mas já não consigo resistir mais tempo. tenho mesmo de meter a minha colherada no assunto.

assunto: maitê proença

vi o lindo vídeo uns tempos antes da polémica incendiar o país (isto parece mal escrito, mas é mesmo o que quero dizer: visto de fora, foi incêndio que deflagrou sem controlo). fiquei horrorizada; respirei fundo; olhei para a data daquela tristeza; encolhi os ombros perante a idiotia de algumas pessoas; e apaguei o mail onde me tinham enviado a ligação para o iutúbaro (tiro novamente o chapéu à genialidade do autor original desta linda tradução, que anda desaparecido há um porradão de tempo).

aquilo não tem ponta por onde se lhe pegue - e estou neste momento a dar o peito às balas. pelo que li por aí, parece que quem acha de mau gosto e sem piada é um desgraçadinho complexado com falta de sexo e problemas de infância. ficarei definitivamente marcada a ferro quente como uma portuguesinha triste, mas aquilo é fazer pouco da gente. terá piada num contexto pífio de tagarelice maldicente de comadres - o que parece ser o género de coisa que o programa da gnt é - daí eu nem ter ligado à coisa, por achar o programa tão insignificante. agora dizer que ahaha!, era a brincar e tal não dá para engolir.

é ofensivo.

mas este ser ofensivo não justifica o clamor de protestos que se seguiu - com gente a favor, gente contra, desculpas públicas, recolha de assinaturas para sei lá o quê, e maismaismais - exactamente pela pobreza de espírito dos ataques e pelo contexto em que foram feitos (em plena incapacidade de discernimento, consequência directa do programa onde passou a peça). não interessa.

a sério, interessa mesmo a alguém o que um grupo de araras cinquentonas poderá dizer ou deixar de dizer numa sessão de cusquice, mesmo que televizada?

21 outubro 2009

pulinhos

tive de roubar.


já sei o que dizer para a próxima

(mouseover text: a laptop battery contains roughly the stored energy of a hand grenade, and if shorted it... hey! you can't arrest me if i prove your rules inconsistent!)

não sei se é sinal, contra-sinal ou o caralhinho*

comprei um chocolate e aquilo não fez nada por mim. nadinha.

*ui!, caracinhas?...

dos corações

e, já agora, carreguem aqui também.

das meninas

vão ver o vídeo que puseram aqui. vão já!

16 outubro 2009

capas lindas

espreitem e votem aqui.

as 3 primeiras...
não me consigo decidir.
«Today, I was commenting on my mom's hair, asking her if she had gotten it done today, or if she was just having a good hair day. She then said "I just did a really good blow job". My dad walked in and said "Yes, I would agree". I am never commenting on my mother's hair again.»

12 outubro 2009

um tiro, ninguém tem por aí um tiro que me dispense? mesmo pequenino, o tamanho não interessa. é que dava-me jeito. a sério.

alguém?

09 outubro 2009

festa da índia

no museu do oriente
8 a 24 outubro

sinais (iv)

achei isto realmente assustador:

(mouseover text: i'm teaching every 8-year-old relative to say this, and every 14-year--old to do the same with toy story. also, pokemon hit the us over a decade ago and kids born after aladdin came out will turn 18 next year.)

08 outubro 2009

contra-sinais (ii)

hoje disseram que eu tinha 21 anos.

quem disse isto tem 15, mas não se desdenham
estas coisas quando são assim de graça.
fazer dos amantes aqueles que se amam

horrível

mas a mim dava-me jeito.

06 outubro 2009

«Today, I texted my dad asking what he was doing. I don't think he realizes "your mom" just isn't the response his son wanted to hear.»

05 outubro 2009

04 outubro 2009

para o natal eu quero





desacordo ortográfico

«Uma antologia de textos que valorizam a diferença na língua portuguesa. Um livro que reúne autores que, em vez de escrever no bom português, preferiram adoptar os seus óptimos, estranhos, lindos portugueses.»

sai em novembro. ver aqui como se constrói.

03 outubro 2009

«Há, na música folk dos países do norte, uma força tranquila que impede o desespero, que mantém as pessoas de pé durante as intempéries, uma força que é impossível de ser encontrada na Europa do Sul, convertida desde sempre a uma bela e desconchavada sinusóide de festa e pranto. (...) Se o fado ou as canções napolitanas são sobretudo histórias de tumultos e arrebatamentos, histórias de faca e alguidar, de gente dilacerada pela vida, maltratada pelo amor, mas que, mesmo engaiolada no sofrimento, gosta imenso de falar, de dançar fora de horas, de vir à janela fazer caretas e de cuidar das feridas como se estas fossem tigres domésticos, muito queridos e ferozes, ou então bonsais, que são árvores completas em vasos pequenos, não sei se percebem onde quero chegar, a folk britânica ou nórdica interessa-se principalmente pelos silenciosos mecanismos do corpo, pelo combate, pelo trote dos cavalos, por essa serenidade algo incómoda e dolorosa, que também sobrevive e ronda as últimas coisas, e que está sempre lá, em qualquer final que se preze, depois das despedidas, nas ruelas às quatro da manhã, no caminho de regresso, na amurada do navio em alto mar.»


a quem possa interessar

eu vou ser, sem sombra de dúvida, uma mulher de bata.


ainda não cheguei lá, mas dêem-me uns instantes e nunca mais a largarei. sei isto porque:

1. gosto de aventais - têm de ter bolsos grandes onde as mãos se enterrem em descanso e peitilho (se não tiver, onde se encosta a tigela da massa dos bolos? ou o gigantesco pão alentejano para cortar uma fatia em cunha?). são excelentes para poupar na lavagem da roupa, logo em água e luz e detergente e ambiente*;
2. sempre que chego a casa tenho de despir a roupa da rua.

daqui até à bata será um passo muito curtinho. (menina alentejana, rendi-me. quando é que nos juntamos para fazer um modelito jeitoso para nós?)


*outra forma excelente de poupar em energia (e em paciência, tempo e tudo)
é não passar a roupa a ferro, mas dobrá-la direitinha assim que sai do
estendal. não é bom não passar a ferro? isto aplica-se a quem não vista coisas complicadas
com camisas e mariquices do género. o que conduz a
nova luta: porque é que é aceite sem contestação que o valor profissional
de alguém aumenta usando roupa desconfortável e formal? é tão
bom trabalhar numa universidade e ser estrangeira e não me importar com isto.

02 outubro 2009

para apender aí abaixo














pode ser que aqui expliquem.

e a propósito de raio c'os parta

como é que "corrector ortográfico" vai ficar com o novo acordo? corretor (da bolsa)?

isso e egipto/egípcio, actividade/activo, e tudo e tudo e tudo.
nem durmo de noite a pensar nisto.

que me tange os nervos (ii)

letreiros com erros ortográficos. não há correctores ortográficos nas gráficas? dicionários?! vão ao priberam ou ao raio c'os parta.

proíbido [sic] dá cabo de mim...

hitler em mangá

versão mangá do livro minha luta está a ser um sucesso no japão.

a curiosidade não matou o gato

o gato está simultaneamente vivo e morto.












prémios ignobel. primeiro fazem-te rir, depois fazem-te pensar.

01 outubro 2009

coisas suecas

embora as casas-de-banho sejam mistas e eu esteja a trabalhar no departamento de física (onde as meninas são uma gritante minoria), não me lembro de alguma vez ter encontrado o tampo da sanita levantado. aliás, geralmente até a tampa está no sítio. boa, meninos suecos!

em contrapartida, a cada duas horas oiço o meu
vizinho chinês ir lá escarrar com grande alarido.

que me tange os nervos

gente muito pipi, sem um cabelo fora de sítio, troteando estrada fora com a etiqueta do preço ainda colada à sola dos sapatos. é especialmente perturbador quando a sola é preta ou vermelha ou assim qualquer coisa mais especial e a cada passo surge uma manchinha branca a marcar o ritmo.
last minute gift idea.

29 setembro 2009

my heart, slow down

don't run
you see i'm lost without your rythm.

26 setembro 2009

american history x

tanta coisa boa para fazer pensar, e agora que o vejo novamente só me vem à cabeça: aquele é o irmão do earl, não é?

acabei de ver num anúncio na tv

as chamadas de valor acrescentado na suécia custam tanto quanto falar para outras redes em portugal.

eu sou a super-mulher


consegui partir um copo de vidro só de o apertar. nem uma gota de sangue.

25 setembro 2009

contra-sinais

ontem pediram-me a identificação na systembolag. praí desde o natal que isto não acontecia.

e acho que não vai acontecer muitas mais vezes.
[suspiro]

no domingo de manhã

«No domingo de manhã somos todos verdadeiramente iguais. Nessa hora democrática, quando o ruído parou e os pulhas ainda não ousam as sondagens, não há governo e é tudo possível (...).»

23 setembro 2009

(ando com uma peninha da gente centro-direita que nem sei. como é possível tê-los chamado coitadinhos duas DUAS vezes aí mais abaixo?!)

desabafo

anda tudo num corrupio a falar do próximo domingo e do telejornal que acabou e do primeiro que é assim e que é assado e nem à porrada se entende e das escutas e da miséria de presidente que temos e mais isto e mais aquilo, e de repente há umas almas iluminadas que vêm dizer que o ps ganha, mas pouco, e o be sobe e o pcp sobe menos e o psd coitadinho nem dá que falar e o portas que esbracejaesbraceja e nada (também o que é que ele queria? mais um tempinho com a fotocopiadora? depois dos cartazes que pregou acerca do rendimento mínimo e da polícia e sei-lá-que-mais, aquilo só mesmo com um foguete atado às pernas e fogo nele). mas esta gente não tem mais que fazer? eu ando para aqui exilada, tanto que nem votar me deixam, e nada disto é novo. as intriguices que enjoo, e o eterno jogo da politiquice que no fim não altera nada, e o cansaço disto tudo - estou quase como a outra, a coitada que foi escolhida para fogo de vista e fingir que se luta sem lutar: seis meses de descanso à democracia e eu punha mão neles.*

*ahaha!, olha para mim a achar que sei...

sinais (iii)

na semana passada notei que há dois moços bonitos nos laboratórios que estou a dar. logo a seguir reparei na data de nascimento dos crianços.

wtf?!!!

sinais (ii)

os sapatos que mais tenho calçado nestes últimos dias são uns ténis muito feios que são também muito confortáveis.

hum...

(mensagem pessoal)

à atenção dum certo e determinado emigra: eu gosto de usar linhas em branco a separar parágrafos. manias da linha, sei lá. mas anotei a dica.

sinais

há uns anos fui contra um poste. tive desculpa - o menino pp, a baralhar-me os passos e o batimento cardíaco e tudo, e o poste dar-me pelas mamas, encontrando-se por isso fora do meu campo de visão.

ontem repeti a proeza. nada de meninos, nada de postes curtinhos. não sei bem que pensar disto. dói-me o ombro.

deve estar relacionado com isto,
mas não quero admiti-lo.

22 setembro 2009

bonito de morrer

vi aquiaqui e o coração lembrou-me que já conhecia estas palavras doutro sítio. roubei-as todas para partilhar com quem aqui passar.

«E eu quero brincar às escondidas contigo e dar-te as minhas roupas e dizer que gosto dos teus sapatos e sentar-me nos degraus enquanto tu tomas banho e massajar o teu pescoço e beijar-te os pés e segurar na tua mão e ir comer uma refeição e não me importar se tu comes a minha comida e encontrar-me contigo no Rudy e falar sobre o dia e passar à máquina as tuas cartas e carregar as tuas caixas e rir da tua paranóia e dar-te cassetes que tu não ouves e ver filmes óptimos ver filmes horríveis e queixar-me da rádio e tirar-te fotografias a dormir e levantar-me para te ir buscar café e brioches e folhados e ir ao Florent beber café à meia-noite e tu a roubares-me os cigarros e a nunca conseguir achar sequer um fósforo e falar-te sobre o programa da televisão que vi na noite anterior e levar-te ao oftalmologista e não rir das tuas piadas e querer-te de manhã mas deixar-te dormir um bocado e beijar-te as costas e tocar na tua pele e dizer quanto gosto do teu cabelo dos teus olhos dos teus lábios do teu pescoço dos teus peitos do teu rabo do teu ________ e sentar-me nos degraus a fumar até o teu vizinho chegar a casa e se sentar nos degraus a fumar até tu chegares a casa e preocupar-me quando estás atrasada e ficar surpreendido quando chegas cedo e dar-te girassóis e ir à tua festa e dançar até ficar todo negro e pedir desculpa quando estou errado e ficar feliz quando me desculpas e olhar para as tuas fotografias e desejar ter-te conhecido desde sempre e ouvir a tua voz no meu ouvido e sentir a tua pele na minha pele e ficar assustado quando estás zangada e um dos teus olhos vermelho e o outro azul e o teu cabelo para a esquerda e o teu rosto para oriente e dizer-te que és lindíssima e abraçar-te quando estás ansiosa e amparar-te quando estás magoada e querer-te quando te cheiro e ofender-te quando te toco e choramingar quando estou ao pé de ti e choramingar quando não estou e babar-me para o teu peito e cobrir-te à noite e ficar frio quando me tiras o cobertor e quente quando não o fazes e derreter-me quando sorris e desintegrar-me quando te ris e não compreender porque é que pensas que eu te estou a deixar quando eu não te estou a deixar e pensar como é que tu podes achar que eu alguma vez te podia deixar e pensar quem tu és mas aceitar-te na mesma e contar-te sobre o rapaz da floresta encantada de árvores-anjo que voou por cima do oceano porque te amava e escrever-te poemas e pensar porque é que tu não acreditas em mim e ter um sentimento tão profundo que para ele não existem palavras e querer comprar-te um gatinho do qual teria ciúmes porque teria mais atenção que eu e atrasar-te na cama quando tens de ir e chorar como um bebé quando finalmente vais e ver-me livre das baratas e comprar-te prendas que tu não queres e levá-las de volta outra vez e pedir-te em casamento e tu dizeres não outra vez mas eu continuar a pedir-te porque embora tu penses que eu não estou a falar a sério eu estou mesmo a falar a sério desde a primeira vez que te pedi e vaguear pela cidade pensando que ela está vazia sem ti e querer aquilo que queres e achar que me estou a perder mas saber que estou seguro contigo e contar-te o pior que há em mim e tentar dar-te o meu melhor porque não mereces menos e responder às tuas perguntas quando deveria não o fazer e dizer-te a verdade quando na verdade não o quero e tentar ser honesto porque sei que preferes assim e pensar que acabou tudo mas ficar agarrado a apenas mais dez minutos antes de me atirares para fora da tua vida e esquecer-me de quem eu sou e tentar chegar mais perto de ti porque é maravilhoso aprender a conhecer-te e vale bem o esforço e falar mau alemão contigo e pior ainda em hebreu e fazer amor contigo às três da manhã e de alguma maneira de alguma maneira de alguma maneira transmitir algum do esmagador, imortal, irresistível, incondicional, abrangente, preenchedor, desafiante, contínuo e infindável amor que tenho por ti.»

crave, sarah kane

20 setembro 2009

ai!, isto aqui abaixo está em repite... não consigo deixar de carregar no botãozinho.

mais lálás

19 setembro 2009

e estes são os morangos selvagens que o vento me deixou de presente na varanda durante o verão




vai correr bem

acaba o tempo na lavandaria, mas estendo a roupa ao sol na varanda e de repente estou um bocadinho em casa; um "gosto de ti" inesperado a meio duma frase acende-me um sorriso por dentro; mão morta a passar na rádio deixa-me aos saltinhos na suécia. até nem está a ser um dia mau.

11 setembro 2009

tanta coisa boa para fazer em lisboa


todos, caminhada de culturas
martim moniz - 10 a 13 de setembro
programa aqui (pdf)

música, exposições, passeios, tanto.

10 setembro 2009

08 setembro 2009

rendemo-nos a quem desarmamos.

02 setembro 2009

medo


vão por mim, sim? e tenham medo.

27 agosto 2009

termodinâmica dos cacos pulsantes

há proporcionalidades que se querem directas e que surgem, por momentos, surpreendentemente inversas. no final, tudo obedecerá à primeira lei.

20 agosto 2009

that leaving feeling



trouxe tudo comigo, incluindo a tristeza e as chaves; não quero deixar nada para trás.

12 agosto 2009

para fazer em lisboa

parar no museu da electricidade e espreitar o re-made in portugal 2009:

«O Remade in Portugal é um projecto que procura incentivar à criação e desenvolvimento de produtos cuja composição integre uma percentagem de, pelo menos, 50 % de matéria proveniente de processos de reciclagem. (...)
Este projecto materializa-se em exposições periódicas que ocorrem tanto em território nacional como a um nível internacional com o objectivo de difundir a cultura do eco-design e do desenvolvimento sustentável.»

até 13 de setembro
entrada livre
ver também na RDB

coisas bonitas

estas coisas das bicicletas não me inflamam; para lisboa eu quero é muitos corredores bus e eléctricos e as linhas de comboio suburbanas casadas com o metro e que os carros se danem todos, tanto tanto que se inundem os transportes públicos e estes melhorem e e e e e.

mas a ciclovia belém - cais do sodré está tão bonita! quero mais. quero passear lá.




vão ver mais fotos, estão tão lindas.



O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.

O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda,
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,
A memória das naus.
O Tejo desce de Espanha
E o Tejo entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
E por isso porque pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

Pelo Tejo vai-se para o Mundo.
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram.
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

Alberto Caeiro


11 agosto 2009

vou-me vingando das confusões do consulado e da comissão nacional de eleições*



My Political Views

I am a left moderate social libertarian
Left: 5.75, Libertarian: 1.92


My Foreign Policy Views
Score: -5.86



My Culture War Stance
Score: -5.15



political spectrum quiz, visto aqui.

* votar é mentira.

09 agosto 2009

suécia

tenho 17 picadas de mosquito no pé esquerdo.

12 junho 2009

mais do que ortografia

não é na ortografia que a diferença entre o meu português e o português do brasil se encontra. esta apenas espelha parcialmente musicalidades que são em si diferentes; ritmos que se geram em partes distintas do corpo e que por isso mesmo tangem emoções noutros nervos, noutras vísceras. uniformizar a ortografia não altera nada. e isto, felizmente, não é apenas sentimento meu:

«Não há a rigor uma só frase que não nos cause estranheza – tudo é familiar, mas pelo caminho espalham-se pedrinhas de sentido a desviar o rumo. Quanto à linguagem, em nenhum momento o leitor se sente em casa, e isso é mortal na prosa literária, que tem na vida cotidiana da língua a sua matéria-prima de origem. Não é só vocabulário, o que seria um problema simples – é sintaxe mesmo, os pronomes todos e seus modos de usar, campos semânticos sutilmente distintos, regências particulares que vão como que armando um novo modo de ver o mundo, tudo que metaforicamente define uma língua.»

cristóvão tezza,
escritor brasileiro
aqui

não concordo com a sugestão de alterar sintática e ortograficamente as obras de cada lado do atlântico, traduzindo-as como se de outra língua se tratasse, que o escritor sugere no final do artigo referenciado. o ritmo do original, embora possa causar estranheza e deixar uns pozinhos de desconforto na mente, é único. perde-se sempre numa tradução, é transfigurado pelo tradutor que o filtra, que o molda de maneira a melhor encaixar numa outra emoção mais familiar ao leitor. mas admito que entre uma tradução dum livro em língua que desconheço prefiro sempre (e continuarei sempre a preferir) a portuguesa. e espero que com a minha ortografia.

02 junho 2009

diferenças culturais

eu aprendi a escrever relatórios no 10° ano - quais as partes essenciais e tal. depois duns quantos atrapalhos (incluindo a quase-inclusão duma receita de molho de tomate num relatório de biologia, cof cof...) lá aprendi o que é essencial incluir (e o que não é!). fui aprendendo truques e ganhando hábitos, especialmente na faculdade em que a seriedade da coisa aumentou exponencialmente. como se constroem tabelas, como se numera e descreve e inclui figuras, blábláblá. ainda tenho muito que aprender (os próximos dias vão ser interessantes por razões que não me apetece explicar), mas sempre SEMPRE sempre tentei fazer uma coisa de jeito.

agora, estes suécios... como é que no segundo ano da faculdade não sabem as coisas mais básicas?! não sabem escrever um sumário (não inclui as 30 tabelas de resultados!), não sabem que a introdução teórica ou lá como lhe quiserem chamar não é uma lista de equações a usar, não sabem que têm de referenciar a origem dos valores tabelados, o que é que eu estou a dizer?!, eles nem sabem que apresentando um diagrama têm de escrever na legenda a que elemento se refere e não apenas "diagrama" (diagrama quê? diagrama de quê?)! e as conclusões... as conclusões!

estou em choque cultural.

nota: esta gente não leva nota. é só passar ou chumbar. os relatórios são entregues numa determinada data, corrigidos e devolvidos para alterações; novamente entregues, corrigidos e devolvidos para alterações; e de novo; e de novo; e de novo - até eu entrar em parafuso e passar toda a gente! não é um bom sistema.


29 maio 2009

há mesmo gente horrível neste mundo

"Reducido el sexo a simple entretenimiento, ¿qué sentido tiene mantener la violación en el Código Penal? (...) ¿No debería equipararse a otras formas de agresión, como si, por ejemplo, obligáramos a alguien a divertirse durante unos minutos?"

daqui, visto aqui
estou ... nem sei como explicar a repulsa que sinto

25 maio 2009

(cleptomania minha)

se as cidades estão cheias de passado
é de ausências que se embaciam as ruas

lugares vazios onde as estrelas se apagam

e o que não se disse da melancolia
é que vivemos numa espécie de queda




maria sousa

20 maio 2009

saudades

hoje paguei 45 coroas* por um pão. ainda não me arrependi.
*4,30 euros... credo!

18 maio 2009

já tenho net em casa!

e agora vou dormir, que isto cansou-me muito.

notas breves:
1) saber como se diz cardinal em sueco é muitíssimo importante quando se precisa de contactar os serviços técnicos por telefone;
2)também ajuda não entrar em pânico quando uma gaja qualquer começa a debitar tralha em viking à velocidade da luz - costuma ser publicidade... que saudades da musiquinha parva que entretinha a espera!

13 maio 2009

é fartar, vilanagem!

mais alguém reparou que dum momento para o outro começou toda a gente a escrever "fartar vilanagem" a torto e a direito por esta blogosfera fora? e para eu, que ando em modo desligado, ter reparado a coisa deve ser muitíssimo grave. será pandemia?

08 maio 2009

dores de cotovelo

«(...) si los Obama conocieran las diferencias entre el perro de agua portugués y el español "habrían elegido el español" como mascota. (...) "El perro de agua portugués es más serio que el español por haberse dedicado a la guarda de las embarcaciones", señala García. (...) Sin embargo, su pariente portugués está más extendido fuera de España porque fue registrado en los libros caninos de Portugal mucho antes que en España.»

daqui, visto aqui.

e o negrito está assim no original e tudo. ahahaha!

21 abril 2009

pergunta

conta como procrastinação sentar-me em frente ao computador durante horas e só conseguir escrever duas palavras seguidas de jeito quando faltam dez minutos para o prazo final? e (apenas) nessa altura me entusiasmar, achando que ficaria perfeito se tivesse só mais uma horinha? que grande merda.

ainda não cheguei aos dez minutos finais.

15 abril 2009

14 abril 2009

(isto deve ser para compensar a ausência prolongada)*

roubadíssimo, de novo
* ou para fugir ao trabalho... cof cof

legenda #4

não é que me faltem coisas para dizer. por vezes nem sequer são as palavras que faltam. é mesmo a vontade.

legenda #3

a páscoa na suécia dura 4 dias e meio. feriado sexta (por isso quinta só se trabalha meio-dia*) e feriado segunda. deu para plantar coentros e salsa, para coser meias, para comer gelado, para andar de manga curta na rua (mesmo com frio), para tirar as socas e as pulseiras da caixa, para fazer o primeiro churrasco do ano e jogar kubb, para experimentar receitas antigas, para sentir muitas saudades da feira da ladra e do cheiro de lisboa depois da chuva.

*sim, eu trabalhei o dia inteiro. e um pouquinho durante os outros dias também...

legenda #2

voltar da alemanha foi excelente. deixar de carregar a vida numa mala de viagem. ter a melhor visita. curtinha...

legenda #1

passei o mês de março inteirinho na alemanha. as primeiras 3 semanas em augsburg, a trabalhar em sala limpa, a usar uma caixa de luvas gigantesca (tão fixe!), a evaporar coisas em sistema de vácuo, a medir as minhas primeiras células solares.* a última semana em dresden, a ouvir mil pessoas (6 000!) a falar de coisas que não percebo (e de algumas que já percebo um bocadinho) e a tentar vender os meus resultados no matadouro que é uma sessão de posters na alemanha. foi bom.

* não vou explicar. não quero (mais) gente a dormir por aqui.

13 abril 2009

alemanha/p./páscoa/preguiça

munique - torre chinesa

institut für physik, universität augsburg - caixa de luvas

augsburg - mercado

augsburg - fuggerei

augsburg - fuggerei ninguém está a espreitar, são autocolantes... hehe!


augsburg best bike ever, anke!

augsburg super-frango!

augsburg


karlstad foto do p.

páscoa - churrasco e kubb

páscoa - folar

páscoa - folar

sol este fim-de-semana de páscoa armei-me em sueca e vesti-me de primavera, com direito a socas e
a pulseiras nos tornozelos e a vontade de andar de sandálias (só a vontade, não exageremos) e tudo. que bom!

10 março 2009

da vida suspensa. do meu espanto. aqui.

escritas de corpo

«(...) Por vezes, olho algumas caligrafias e sinto cheiros, é como se estivesse a tocar uma pele escondida nas letras, como se ouvisse o tom de uma voz através da forma como a língua é desenhada sobre a página por uma mão mais ou menos firme, por um corpo mais ou menos firme, já que para a mão, quando escrevemos, vai todo o peso do corpo. (...)»

18 fevereiro 2009

pub



já andava há uns tempos para pôr isto aqui e falar de boxers que aparecem em primeiro lugar na lista de prendas de natal de putos suecos de 12 anos. fica só o video que o tempo anda a fugir-me.

19 janeiro 2009

isto não interessa a ninguém, mas lembro-me de me sentar ao pé do joão aguardela durante um sarau de ginástica há mil anos atrás enquanto calçava as sapatilhas e o meu coração batia um nadinha mais forte. uma emoção feita de adolescência e de cabelos compridos a gritar rebeldia e da aura de estrelas que afinal bebem bicas no bar da associação desportiva do bairro como as pessoas normais.

e agora, porque se morre em todo o lado e a todas as horas e as coincidências são umas putas insensíveis, o que descobri foi que uma canção que me andou a perseguir durante muito tempo é afinal parte do extinto projecto megafone. esta aqui abaixo.



que me desculpem se ofendo, mas do que me vou lembrar sempre é do coração acelerado e de ter querido ser crescida o suficiente para beber uma bica com o meu vizinho.

11 janeiro 2009

lá-lás para um retornado


não me perdoo não te ter visto, e à donana, no natal. mas vou seguir-te avidamente, qual stalker.

09 janeiro 2009

ainda não parei de rir



isabelle chase otelo saraiva de carvalho

carreguem nisto verde aqui acima, pelamordochantinhos!
(obrigadinha)

08 janeiro 2009

em decomposição

na semana passada caiu-me um cabelo branco. ontem caiu-me outro.

tira as calças



Sem Calças! '09 Lisboa 10jan 15h jardim de telheiras

07 janeiro 2009