03 outubro 2009

a quem possa interessar

eu vou ser, sem sombra de dúvida, uma mulher de bata.


ainda não cheguei lá, mas dêem-me uns instantes e nunca mais a largarei. sei isto porque:

1. gosto de aventais - têm de ter bolsos grandes onde as mãos se enterrem em descanso e peitilho (se não tiver, onde se encosta a tigela da massa dos bolos? ou o gigantesco pão alentejano para cortar uma fatia em cunha?). são excelentes para poupar na lavagem da roupa, logo em água e luz e detergente e ambiente*;
2. sempre que chego a casa tenho de despir a roupa da rua.

daqui até à bata será um passo muito curtinho. (menina alentejana, rendi-me. quando é que nos juntamos para fazer um modelito jeitoso para nós?)


*outra forma excelente de poupar em energia (e em paciência, tempo e tudo)
é não passar a roupa a ferro, mas dobrá-la direitinha assim que sai do
estendal. não é bom não passar a ferro? isto aplica-se a quem não vista coisas complicadas
com camisas e mariquices do género. o que conduz a
nova luta: porque é que é aceite sem contestação que o valor profissional
de alguém aumenta usando roupa desconfortável e formal? é tão
bom trabalhar numa universidade e ser estrangeira e não me importar com isto.

2 comentários:

Canadian Again disse...

* Como estou de acordo contigo! Em relacao ao passar a ferro ha muito que faco o mesmo. Nem calcas de ganga! E bom trabalhar num local em que o que pensa e trabalha e o cerebro e nao os sapatos, ou as marcas, ou o automovel.

purpurina disse...

boa!