03 julho 2012

a vida a doer-me

eu encolho-me um bocado quando penso nos meus anos todos no técnico, no que me custou engolir os exames que tive de repetir uma e outra vez - muitas vezes porque o medo de não chegar me impedia de abrir mão da folha de exame já escrita, borrada, reescrita, marcada pela angústia do não saber se sabia.

agora, a menos de meio ano de acabar o doutoramento longe, o medo ainda me paralisa. a certeza da perfeição não-alcançada, a dúvida do chegar ou não a martelar-me a coragem.

e depois deparo-me com isto. licenciatura-bacharelato feita num ano porque o currículo profissional foi analisado e foram tidos em conta cursos por terminar (por começar!) para atribuir créditos que a todos nós custam sangue.

foda-se.

4 comentários:

Goldfish disse...

Surreal. Vou levar, com créditos.

blargh disse...

eu fui à praia todos os anos da minha vida, por isso, no mínimo, devo ser bacharel em biologia marinha.

Ana Duarte disse...

Compreendo-te... tão bem.

OnceCanadianNowAmerican disse...

"o medo ainda me paralisa. a certeza da perfeição não-alcançada, a dúvida do chegar ou não a martelar-me a coragem". Podes ja nao ler isto mas sinto o mesmo. Nao acho que seja medo no meu caso, e mais a falta de confianca e ate mesmo a consciencia de nao saber o que deveria saber. Mas depois penso que e perfeitamente normal. E no teu caso, e normal quando nao te acomodaste e saltaste para o meio dos melhores. E normal quando nao quiseste lamber botas e foste em busca do teu sucesso a custa do teu merito. Pode nao chegar, mas nao e para os outros. Sera sempre insuficiente para ti. E se for mesmo insuficiente aos teus olhos, e se nao for por medo, entao e porque tens que seguir outro caminho e o doutoramento apenas foi uma etapa que te deu uma luz mais nitida. Eu ainda ando um pouco a luz das velas, mas pronto...era isto que queria dizer. Falando de mim, acho que preciso de seguir um caminho onde me estejam constantemente a agradecer pelo meu trabalho e esforco. Deveria ter sido actor, talvez... :)