19 novembro 2010

o que faço pelo planeta por preguiça - intro

inspirada nisto, nisto e noutras coisas, decidi começar uma rubrica por aqui em que partilho com quem quiser aquelas coisas maravilhosas e aliviadoras de consciência ambiental que faço, com a particulariedade de serem largamente motivadas pela preguiça e, por isso mesmo, extremamente atraentes mesmo para quem se borrifa para o ambiente.

(aproveito para mandar a minha posta acerca de comércio justo e coisas biológicas e o caracinhas, já que uma das ligações aqui acima fala disso: com excepção da carne, as coisas biológicas não me convencem e chateia-me que se misturem com as etiquetas de comércio justo. gosto muito da horta do meu pai, mas não me parece que esta seja uma solução viável ou sequer ecológica para o mundo. coisas que ver com quantas bocas querem alimento, problemas de pragas, fraco crescimento das culturas e mais bláblá. qualquer dia pode ser que elabore isto. entretanto, se alguém quiser rebater esta posição esteja à vontade. agradeço)

7 comentários:

NoKas disse...

Epá! Eu também fico super dividida com a história dos produtos biológicos e do fair trade... O porque através de alguns exemplos...

1. Normalmente vêm de longe! Umas bananas fair trade e organic e não sei quê... do KENYA! mmmm, pois... e o transporte? E este plástico a embrulhar as bananas serve para???? Pois, mas não são só as frutas, por vezes são as coisas simples! Como batatas e cenouras!

2. O champoo biológico que tem os mesmos constituintes que um normal, mas por acaso tem ali um óleo qualquer de origem vegetal?!?! mmmm

......

Ao mesmo tempo também me aborrecem coisas como culturas de grande escala onde os pesticidas usados poluem a minha rica aguinha.... ou o monopólio das sementes (que geram plantas que não geram sementes...) da Monsanto em África! Etc etc etc... A mim afligem-me muitas coisas, mas nem sempre tenho energia para tentar saber e conhecer quais as soluções e alternativas existentes. Mea culpa!

Claudia disse...

here here!
estou de acordo c tudo dito.



p.s.-estou com uma ressaca... o fidalgo esta ca de fim de semana.

p.s.-telyxrt.

Claudia disse...

ah, é verdade, um livro muito interessante sobre desenvolvimento sustentável:

http://www.mcdonough.com/cradle_to_cradle.htm

eu comprei a ediçao de papel fsc. :) dá p ler no banho... ehehe


beijo!

p.s.-biesside.

purpurina disse...

nokas: concordo. para mim comprar coisas da região é mais importante do que as outras etiquetas. isso dos fertilizantes e assim é complicado. se não fosse o nosso amigo haber (http://en.wikipedia.org/wiki/Haber_process), muita mais gente estaria a morrer de fome. e isso dos champôs biológicos e tal muitas vezes é só mais um truque publicitário que outra coisa. assunto complicado, este.

não sei se isso das plantas sem sementes é mesmo verdade. desconfio sempre de greenpeaces e grupos assim. parecem-me ser pouco sérios e deturpam muita da ciência que usam.

menina c.: eu tenho dois que ainda não consegui ler. já estão desactualizados, claro.

why we disagree about climate change, de mike hulme

sustainable energy - without the hot air, de david mackay. este podes ler online: http://www.withouthotair.com/

beijinhos

Claudia disse...

aaah, gostaria de ler o primeiro. o segundo... bem o q eu aconselho é 'contra' o desenvolvimento sustentável... é giro...

acabei de dar com a testa num aporta de vidro da uni, depois de pagar os 500 euracos de matricula no doc. passou de 175 a 500, agora c bolonha. ai. tenho sorte q me pagam, mas conheços uns quantos por aqui que n hes pagam...

se ficar um galito, mando foto.

bejo!

ps-prelli.

purpurina disse...

contra o desenvolvimento sustentável? isso significa o quê, que não é possível ou que não é preciso? tens de me contar mais, agora estou curiosa (e levemente irritada).

o livro da energia sustentável é um balanço alargado de energias - quanto precisamos, quanto gastamos, quanto conseguimos obter de cada fonte com as tecnologias disponíveis. não é nenhum tratdao revolucionário, mas é uma análise engraçada que quantifica o problema.

bzalo disse...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Permacultura