23 maio 2011

falta-me um pouco mais dum mês e meio aqui antes das férias, mas este fim-de-semana tive (finalmente) tempo para não fazer nada. foi um bocadinho estranho não ter de andar a inventar tarefas urgentíssimas para me esquivar ao trabalho - senti uma espécie de vazio cá dentro. lembrei-me então de esvaziar os meus armários (que são dois e muitos pequenos) e começar a seleccionar roupa. tira do monte, veste, despe, atira para outro monte. foi engraçado porque a minha casa só tem um quarto com uma grande janela que dá para um jardim (com vista para o lago se me inclinar um bocadinho na varanda, olhó luxo!) onde gente passeia cães e putos e eu já estou assuecada o suficiente para não me preocupar em fechar cortinas e tal. e os suecos não olham. enfim, acabei com 15 quilos de roupa que já não me serve ou que eu já não uso a encher-me a mala de viagem e 8 quilos de livros já seleccionados para levar de volta. não se nota diferença nenhuma nos armários e na estante. isto daqui a um ano e pouco vai ser giro, vai.

3 comentários:

OnceCanadianNowAmerican disse...

Eu enchi um saco azul dos grandes do IKEA e dei tudo para caridade. Deitei fora as t-shirts e calcas com buracos dos quimicos e a roupa que as maquinas vao sempre estragando.
Usei os correios para enviar 2 caixotes com roupa mais pesada e livros. Sai mais barato do que pagar o extra no aviao. Os caixotes na Quimica que levam as garrafas de 4L de solvente sao reforcados e por isso o ideal para isso. Eles hao-de receber disso as carradas.

maria 3a disse...

percebo tao bem este problema. para mim será daqui a 2 anos o mesmo.

purpurina disse...

eu tenho problemas em dar coisas. dito assim soa muito mal, eu sei. mas custa-me tanto ficar sem aquela camisola desbotada que já não me serve...

vou fazer isso de enviar pelo correio, pelo menos os livros. logo se vê como corre, mas talvez tenha de enviar coisas pela schenker ou assim. tenho praqui uma poltrona tão fixe que não me cabe na mala...

maria, começa já a largar coisas. há um ano eu queixava-me, mas não ligava muito. agora apercebo-me que tenho umas 3 viagens de avião para levar 4 anos de tralhas de volta. não chega! ai, o pânico.